Acerca de mim

A minha foto
Sintra/Miranda do Douro, Portugal
Gosto de pintar,de escrever e de fazer trabalhos manuais.Sou simples e verdadeira. Tenho que pôr paixão naquilo que faço, caso contrário fico com tédio. Ensinar, foi para mim uma paixão; escrever e pintar, continua a sê-lo. Sou sensível e sofro com as injustiças do Mundo. A minha primeira língua foi o Mirandês. Escrevo nessa língua no blog da minha aldeia Especiosa em, http://especiosameuamor.blogspot.com em Cachoneira de Letras de la Speciosa e no Froles mirandesas.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

A urgência


Foram as palavras

que nos aproximaram,

em tempo em que corrias e,

ao meu passo mais sereno

também eu ia correndo.

Tinhas pressa, sempre pressa,

resistente que nem pedra,

da mais ferrenha,

desperto que nem fonte

que mais à noite mana.

Fizeste das palavras açudes

onde te refrescavas,

miradouros por onde viajavas,

terra fresca com que te alimentavas,

janela por onde olhavas

e das preocupações te libertavas.

Corrias

e fazias das palavras combustível

para acelerar o teu correr.

Continuam a remexer

na tua cabeça as palavras

e fazes agora delas cajado para travar,

amparos para a pedra a esfarelar.

Não há em ti pressa mas urgência…

A urgência de cada momento

para cada momento

em palavras eternizar.

2 comentários:

  1. Gostei imenso deste poema/homenagem, amiga!
    Bjo :)

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, Odete. Tudo é pouco para uma pessoa maravilhosa como o Amadeu. Um beijico

    ResponderEliminar

Seguidores

Arquivo do blogue